CÁSSIA ELLER É HOMENAGEADA NO ÁLBUM “CÁSSIA REGGAE”
25/11/2022 21:10 em Música

Quente, envolvente, solar, relax. Assim era Cássia Eller. E assim é o segundo volume do álbum Cássia Reggae(Universal Music), que nasce reunindo artistas de diferentes personalidades – bem no estilo eclético da cantora: Samuel Rosa, Roberta Campos, Mart’Nália, Frejat, Otto, Beto Lee e Armandinho Macedo dão nova vida às canções interpretadas pela artista, que completaria 60 anos no próximo dia 10 de dezembro.

 

 

A produção musical, artística e arranjos do álbum são assinados por Fernando Nunes e Sergio Fouad. “A proposta desta homenagem é unir artistas que Cássia admirava a outros que ela teria gostado de conhecer”, diz Fernando Nunes.

 

 

 

Se o álbum é uma festa, ela acontece à beira-mar. Lua cheia, vento gostoso e canções eternizadas na memória dos fãs com novas levadas e belezas. Uma big band comandada por Fernando Nunes abre o disco com “Luz dos Olhos” (Nando Reis), canção que une um naipe de metais efervescente, arranjado por Nunes e Tércio Guimarães, a uma interpretação única de Samuel Rosa, lembrando a conexão entre a canção e os primeiros anos do Skank.

 

 

 

A noite esquenta com o hit “Relicário” em um ska moderno e acelerado do jovem Dada Yute, considerado uma “jovem lenda” do reggae nacional. Os efeitos eletrônicos na música e nas vozes amplificam o som, aquele suingue perfeito para as noites de lua cheia.

 

 

 

O segundo volume do projeto “Cássia Reggae” traz uma raridade renovada. A suave “Flor do Sol”, composta por Cássia e Simone Saback em 1982 - e redescoberta 30 anos depois -, ganha uma versão envolvente e contemplativa na bela voz de Roberta Campos. Se fecharmos os olhos, podemos “ver” as vozes de Roberta e Cássia caminhando juntas na areia.

 

 

 

O álbum segue ao comando dos fortes ventos no irreverente e dançante ska “Todas As Mulheres Do Mundo”. A música de Rita Lee gravada por Eller em 1998 no disco “Veneno Vivo” recebe vívida releitura de Ana Cañas, Tacy de Campos e Beto Lee, que também toca guitarra na gravação. A festa está formada!

 

 

 

O luau entre amigos desce para pertinho da água na delicada “Preciso dizer que te Amo” (Dé Palmeira, Bebel Gilberto e Cazuza), em um encontro especial de Mart’Nália e Frejat nos vocais.

 

 

 

A sexta e última faixa, “Mapa do meu Nada”, recomeça a festa num ragga muffin com personalidade nordestina, fruto do encontro do eletro pernambucano de Otto com o guitar man baiano Armandinho Macedo, numa versão bem rítmica e percussiva, características do compositor Carlinhos Brown.

 

 

 

Cássia Reggae [Vol. 2] é uma fluida continuidade do primeiro álbum da série e o clima “all-stars” segue com entrosamento e criatividade: “Temos grandes performances no álbum e um repertório de músicas maravilhosas que viraram pérolas na voz dela. Mesmo tendo essa pegada blues-rock, Cássia Eller passeava com facilidade por vários ritmos. Gravou ‘Eleanor Rigby’ em reggae no seu primeiro disco...já flertava com o estilo desde sempre”, diz Fernando Nunes.

 

 

Então vamos al mare! Pode colocar os fones de ouvido ou ligar a caixa de som. Aumente o volume para dançar e curtir nessa festa entre amigos à beira-mar, naquele clima quente, envolvente e relax que conhecemos de Cássia Reggae.

 

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE